quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Um Perfeito Cavalheiro



RESENHA


   O conto da Cinderela sempre foi um dos meus preferidos desde a infância, é ótimo torcer para que aquela personagem que tanto sofre na vida, um dia dê a volta por cima e se restabeleça, tendo o tão sonhado “feliz para sempre”.

   Com Sophie não foi diferente, me apeguei tanto a essa garota desde as primeiras paginas do livro, que sentia um aperto no coração esperando e torcendo para que o seu “final feliz” chegasse um dia. Julia Quinn mais uma vez me surpreendeu e cativou com essa linda e comovente historia. Meu Deus, essa mulher tem muito talento e criatividade para desenvolver narrativas e criar personagens que nos deixam completamente apaixonada.

   Em um baile de mascaras organizado pela nossa querida e super mãe Violet Bridgerton, Sophie consegue se disfarçar de dama da alta classe e ir as escondidas. Ao chegar fica encantada e deslumbrada com tudo, afinal esse seria o seu primeiro contato com a alta sociedade. E é nessa noite, nesse baile, que as vidas de Sophie e de nosso perfeito cavalheiro Benedict Bridgerton se entrelaçam.

   Mas como em todo conto da clássica Cinderela, tudo tem a hora de acabar, e Sophie sai correndo dos braços de Benedict sem dizer ao menos o seu nome e volta para sua vida de dor e sofrimento. Ah como sofri com nossa pequena Sophie, a cada lagrima derramada por ela, eu sentia meu coração sendo destruído e me pegava torcendo para que logo as coisas mudassem.



"Era estranho encontrar uma mulher que podia fazê-lo feliz apenas com sua presença. Ele não precisava vê-la ou ouvir sua voz, ou mesmo sentir seu perfume. Só precisava saber que ela estava lá.  Se isso não era amor, Benedict não sabia o que era."
   Agora entendo a paixão que as leitoras sentem por nosso perfeito cavalheiro, que realmente faz jus ao título. Violet Bridgerton se superou como a melhor mãe das historias, e sei que como ainda estou no terceiro livro, já posso preparar o coração haha. Eu estou me tornando fanática por essa família e pela escrita maravilhosa da Julia Quinn, mal posso esperar para saber mais sobre os outros Bridgertons.













Detalhes

Páginas: 304
Autora: Julia Quinn
Onde encontrar: SkoobAmazonSubmarinoAmericanasSaraiva.
Editora: Arqueiro

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

A Última Chave: Realidade em um Mundo Paralelo



RESENHA

"O medo é inevitável, mas ceder ou não a ele é sempre uma escolha."

   E se o mundo normal e padronizado que conhecemos não for apenas o único em que se pode viver? E se a sua consciência lhe permitisse vivenciar momentos fora de seu corpo em um mundo novo e desconhecido? Essa é a história de Sofia nossa protagonista.

   Uma garota comum, estudante de psicologia e apaixonada por crianças, um dia encontra um livro diferente dos que estava familiarizada e se interessa pelos assuntos peculiares que o livro trás. Sofia mal sabia que o livro “Experiências fora do corpo – mitos e verdades” lhe traria questionamentos e aprendizagens que mudariam radicalmente a sua vida.

   Depois de uma série de sonhos confusos e sem explicação, ela acidentalmente recebe um panfleto sobre um curso de projeção astral e procurando saber mais sobre isso, segue em busca do local onde o curso era ministrado.


"Os sonhos têm influência direta no metabolismo e sabe-se, também, que eles servem para ajustar as memórias das experiências vividas pela pessoa, promovendo uma “limpeza” e uma organização melhor desse material. O sonho é essencial à vida, a ciência já sabia disso, mas estava ainda no início de um estudo mais elaborado sobre os sonhos lúcidos."

   O professor, um homem atraente e que lhe causou uma forte sensação de déjà vu, automaticamente nota potencial em Sofia e lhe permite participar do curso. Em meio a tantas descobertas sobre projeção astral, viagens fora do corpo e sonhos lúcidos, Sofia descobre que é parte de algo muito maior do que ela imaginava, e que o destino de uma pessoa está em suas mãos.

   Um livro instigante que deixa o leitor preso a leitura e curioso em saber qual é a missão de Sofia, e se ela terá êxito nessa missão. Uma narrativa fluida e agradável. Mesmo abordando um assunto peculiar e fora da minha zona de conforto, eu me peguei bastante interessada na leitura e gostei muito do livro, principalmente do final. Camila, obrigada pela oportunidade de ler algo tão único e diferente.

"A vida cava muitos buracos em nosso caminho, fazendo-nos tropeçar, cair, machucar. Mas ela também constrói pontes e coloca flores no fim."










Detalhes

Páginas: 174
Autora: Camila Guerra
Contato com a autora: aqui.
Onde encontrar: SkoobAmazon
Editora: Amazon

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Atenção!


Olá galera, hoje venho contar uma novidade que encheu o meu coração de alegria. Eu, Kalyne Lauren, Ordem de Merlim (Primeira Classe), Ordem Jedi (sonhar não custa nada né), tive a honra de ser convidada a participar como colaboradora em um dos blogs mais pops da atualidade; o Resenhando, da minha princesa e amiga Marina Mafra (ou Má como eu amo chamar). Logo logo encherei lá de resenhas da minha editora do coração; a Arqueiro. Um beijo de luz em cada um.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Os últimos dias de dilúvio da serra




RESENHA



   A resenha de hoje é curtinha, pois o livro também é. Uma cidade cheia de superstições e com horror ao número 13, chamada Dilúvio da Serra, enfrenta um problema que tira o sossego dos moradores supersticiosos. Com um total de 12.999 habitantes e bem perto de completar 100 anos, o nascimento de mais uma pessoa, deixa a população com um medo horrível de que a cidade seja extinta.

   Uma cidade pacífica e que nunca teve a oportunidade de inaugurar a cadeia local, devido à tranqüilidade de seus moradores. Não era comandada por políticos, mas sim pela família holandesa Von Becke. E é justamente nessa família que promete nascer em poucos dias o 13.000º habitante da cidade.


   Filho de Johann e de sua esposa Antoanete, a criança considerada mau agouro,  de acordo com as superstições dos moradores, ameaça trazer com seu nascimento uma chuva que trará a destruição da cidade.

   Um livro inteligente e curioso que tenciona levar o leitor a fazer um passeio pelo mundo do mistério, das superstições e da vida real. Contando com uma narração sincera e com uma pitada de ironia que nos faz sentir dentro da própria historia vivenciando as emoções dos personagens. 












Detalhes


Páginas: 130
Autor: Adriano Paciello
Contato com o autor: aqui e aqui.
Onde encontrar: Chiado EditoraSubmarinoAmericanasLivraria CulturaSkoob.
Editora: Chiado

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Um milênio para amanhecer



RESENHA


“Enlouquecer deveria estar na lista do top 10 de coisas a se fazer antes de morrer”


   Imagine uma criança inocente, pura e cheia de sonhos infantis, perder toda a sua infância ao ser abusada sexualmente. Assim começa a história do nosso personagem principal, Marvin DeMoore, filho de uma prostituta inglesa e que foi violentado por um dos clientes da mãe, dos 5 aos 15 anos de idade.

   Com 2 anos foi levado a Califórnia por seu padrinho Eric Adams, porém aos 5 voltou a Inglaterra em circunstâncias desfavoráveis. Dono de uma beleza notável e belos olhos azuis, DeMoore cresceu em meio a um ambiente hostil e indigno de qualquer ser humano. Seu único consolo era Clara Pellegrini, sua amiga de infância.

   Aos 18 anos retorna a Califórnia atrás do homem que o violentou por toda a sua infância; McMegory, um chefe da policia. Para a surpresa e terror de muitos, Marvin começa a trabalhar com McMegory, demonstrando ter uma frieza sem limites ao estar junto daquele que o molestou por tantos anos. Mas como tudo na vida tem uma razão, a de DeMoore é simples: vingança.



“- Mas também pode ser bom. Marvin tem um coração doce, Elizabeth. Procure. Está lá e é enorme. Ele tem comportamentos excêntricos, sempre foi e sempre será provocativo. Mas ele não precisa de muito, e também não se impressiona com coisas grandiosas. Ele não tem nenhuma modéstia, é verdade. Mas o pouco que você lhe der, ele vai aceitar como se nunca tivesse visto nada tão maravilhoso antes. Marvin é um estorvo, mas um estorvo que a gente sempre quer ter por perto.”



   Em uma situação inusitada da vida Marvin conhece Jaak Lewis, filha de um poderoso magnata da tecnologia, e a partir daí sua vida que já não era fácil, se torna pior. Após ser acusado de uma seqüência de crimes que apontam unicamente para ele, DeMoore corre contra o tempo para despistar a policia, e manter em sigilo o que acontece no seu outro trabalho secreto.

   Um livro chocante e envolvente. Apesar de possuir um início um pouco confuso, ao longo das poucas páginas iniciais, já é perceptível como tudo estará interligado. Marvin é aquele personagem irônico, instável e que cativa tanto o leitor que é fácil desculpar algumas de suas atitudes e continuar o amando da mesma forma. Afinal, com uma vida conturbada, uma infância caótica, quem não cometeria os mesmos erros?

   Me senti presa a esse livro de uma forma viciante, não conseguia desgrudar das páginas preocupada com DeMoore e com algumas pessoas próximas a ele. O desejo de vingança e justiça, foram sentimentos martelando sempre em meu coração durante a leitura. Chorei e fiquei chocada com algumas cenas do livro, dignas de Tarantino. Anne me mostrou mais uma vez o quanto a literatura nacional é incrível e merece ser valorizada.

“Mas ainda fazia frio lá fora. A floresta de Stanislaus soprava o inverno sobre a cidade. as arvores dançavam para o vento, que uivava feito um coiote chorando solitário para a lua.Um milênio para amanhecer.”


   Se eu gostei? O fato de ter praticamente devorado o livro responde essa pergunta haha, mas sim, gostei demais e indico de coração. Só peço que tenham paciência no início, pois a confusão de informações é somente para explicar a história do nosso querido Marvin DeMoore.














Detalhes


Páginas: 256
Autora: Anne Venditti
Contato com a autora: aquiaqui e aqui.
Onde encontrar: SaraivaLivraria CulturaSkoobCia dos livrosGiostri.
Editora: Giostri

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Adrenalina Sombria



RESENHA


     Imaginem uma mistura de todos os filmes de terror dos anos 80 em um só livro? Repleto de horror e muito medo. Apresento-lhes Adrenalina Sombria, a história que me tirou o sono e está no topo das melhores leituras de 2017.

   O livro nos apresenta a cinco amigas inseparáveis; Verônica, Beatriz, Ametista, Lola e Cora. Diferentemente de um grupo de amigas normais que passam o tempo livre com coisas comuns e triviais, esse quinteto tem uma predileção a lidar com fenômenos sombrios.

“Já não sabia mais quem eu era. A menina que andava de skate pelas ruas, com cabelo colorido, maquiagem pesada e luvas nas mãos? A menina calada, do cabelo preto, com piercing no nariz, que saía à noite com um amigo para rir das estrelas imaginárias? Ou a menina que não mais conhecia a adrenalina sombria do oculto – e sim o pavor?”

   Depois de anos participando apenas como expectadoras do mundo das sombras, em uma noite do dia 31 de outubro, elas decidem avançar para um terror da vida real: uma tábua Ouija. O gosto metálico do medo e a adrenalina viciante foram o combustível que impulsionou o nosso quinteto a invocarem espíritos do mundo real.

   Mas como a lei de Murphy diz que se algo pode dar errado, dará. A partir daquela noite, daquela brincadeira, foi inevitável que o caos não se instalasse na vida dessas cinco garotas. Afinal, ninguém consegue incomodar os mortos durante o descanso eterno e sair impune correto?



“[...] e percebi que, apesar de toda a bagunça, de todo o sofrimento, de todos os pesadelos e da eminente possibilidade de morte, éramos mais unidas que qualquer amizade. Sentiamos a mesma adrenalina sombria, a mesma sedução pelas trevas, o mesmo carinho pelo oculto, e não importava o sangue. Nós éramos irmãs que haviam viajado à escuridão com passagem apenas de ida. Éramos mais poderosas do que podíamos imaginar, nosso coração batia como se fosse um, e o palhaço do demônio que estava mexendo conosco... Nos veria no inferno.

   Um ano depois desse episódio muitas coisas acontecem, a vida do nosso quinteto está virada de ponta cabeça. Fatos bizarros e chocantes se desenrolaram ao longo desse ano. Uma força maligna e dotada de puro ódio e maldade está a caça de uma por uma. Será que essas cinco amigas conseguirão escapar dos demônios que as perturbam constantemente?


   Eu não sei onde vivi até hoje sem ter lido esse livro. Thaís Barros possui uma forma de escrita tão peculiar e surpreendente que promete fazer até o leitor mais medroso devorar todas as páginas do livro a fim de chegar ao final dessa história e ainda querer mais. Se eu indico? Com todo o meu coração. Venha se aventurar nesse mundo do horror e do medo, e mantenha os olhos bem abertos, principalmente com o que está ao seu lado. 


“Os filmes de terror começam com a vida perfeita de alguém sendo mostrada, detalhe por detalhe. Os amores, as dores, as conquistas e os objetivos, para depois, detalhe por detalhe, ser destruída, estilhaçada, morta, destroçada, retalhada até que o que sobrar nunca mais possa ser feliz.”












Detalhes


Páginas: 376

Autora: Thaís Barros
Contato com a autora: aquiaqui, e aqui.
Onde encontrar: AmazonSaraivaLivraria CulturaSkoobAmericanasSubmarino
Editora: Novo Século

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Orgulho e Preconceito



RESENHA

   Em uma sociedade ilustre da Inglaterra, nos meados do século XIX, é onde se passa o nosso relato.  Acredito que muitos conheçam essa obra clássica de Jane Austen, mesmo tendo sido publicado em 1813 e contando com várias edições traduzidas de formas diferentes e um vocabulário considerado “antiquado” para os dias de hoje, é uma história que ainda atrai e apaixona pessoas de diferentes idades.

   “Um homem solteiro e rico precisa de uma esposa”. O livro começa com a referida frase, e nos apresenta a família Bennet, composta de cinco filhas moças, uma mãe superficial, ansiosa, inconveniente e pouco inteligente, disposta a ataques, tremores e palpitações, um pai erudito e inteligente que não aprovava a superficialidade da esposa e das 3 filhas mais novas. 

“O orgulho é um defeito muito vulgar, creio eu. Depois de tudo o que li, estou convencida que são raros aqueles entre nós que não nutrem um sentimento de condescendência própria baseado numa ou outra qualidade, real, ou imaginária. Vaidade e orgulho são coisas diferentes. Pode-se sentir orgulho sem ser vaidoso. O orgulho diz respeito mais à opinião que temos de nós próprios, enquanto a vaidade ao que queremos que os outros pensem de nós.”

“Não há nada de mais enganador – disse Darcy - que a aparência de humildade. Não passa, por vezes, de uma simples preguiça mental, ou então de uma fanfarronice.”

   Os acontecimentos ocorrem sob o ponto de vista da personagem principal, a segunda filha dos Bennet, Elizabeth (Lizzy). Tudo muda quando um cavalheiro encantador, bonito e generoso chamado Charles Bingley aluga uma mansão próxima a família Bennet. O Sr. Bingley acompanhado do melhor amigo Fitzwilliam Darcy, descrito inicialmente como alguém socialmente reservado e capaz de causar uma má impressão a estranhos.

   Enquanto Charles Bingley para o desagrado total de suas irmãs se sente profundamente atraído pela filha mais velha dos Bennet, Jane. Considerada a mais bela jovem do local, uma garota doce, reservada, sensível, e que prefere ver apenas o lado bom das pessoas. O Sr. Darcy se encanta pelos olhos de Lizzy.


“Que agradável modo de se passar a noite! No fundo, não há prazer que se compare ao da leitura! Basta ver a facilidade com que uma pessoa se farta de tudo o que não seja um livro!”

   Minha vontade é contar a história toda pra vocês, mas acho que perderia a graça para quem ainda não leu né? Em meio a muitas voltas e reviravoltas que o livro nos trás, percebemos como o amor consegue mudar até o coração mais orgulhoso e vencer todos os preconceitos que a sociedade impunha em relação às normas e costumes da época.


   Agradeço imensamente a minha amiga Marina por ter me presenteado com essa edição linda, me apaixonei profundamente por esse clássico da literatura. Elizabeth com seu jeito inteligente, sincero, alegre e disposta a não levar desaforos pra casa, se tornou uma das minhas personagens preferidas. E como não morrer de amores pelo Sr. Darcy?

“Uma tal mudança num homem tão orgulhoso suscitava não só o espanto, como a gratidão. Só ao amor, e a um amor ardente, é que ela poderia ser atribuída; e a impressão que sobre ela esse amor produzia não era de modo algum desagradável, embora não pudesse ser exatamente definido.”










 Detalhes

Páginas: 240
Autor: Jane Austen
Editora: Pé da letra
Onde encontrar: Amazon